Biogents – Science for Your Protection –

O significado do dióxido de carbono (CO2)

O dióxido de carbono (também conhecido como ácido carbônico ou CO2 é o atrativo mais importante,  para a maioria dos insetos sugadores de sangue. O gás está presente na exalação de humanos e animais. Está presente apenas em quantidades mínimas, de cerca de 0,04% no ar. A respiração humana contém cerca de 4% e um adulto humano emite aproximadamente um quilograma de dióxido de carbono por dia.

Quase todos os mosquitos e, em particular, as espécies encontradas na Europa Central e outras zonas temperadas (por exemplo, os mosquitos domésticos ou os mosquitos de inundação, que também ocorrem em massas) dependem do dióxido de carbono, como atrativo. Esta é a razão pela qual as armadilhas Biogents são geralmente operadas com CO2 nessas regiões. Usamos dióxido de carbono puro e, combinados com uma ótima aplicação, já podemos alcançar uma atratividade semelhante à de um humano, com o uso de apenas 200 a 500 gramas de dióxido de carbono por dia.

Na BG-Mosquitaire CO2, o dióxido de carbono é dispensado dos cilindros de gás padrão (que pode ser armazenado discretamente). É o mesmo gás usado na produção de bebidas, em restaurantes e outros estabelecimentos de alimentação e bebidas. O dióxido de carbono é fornecido à armadilha através de uma mangueira de 5 metros de comprimento.

The carbon dioxide for the mosquito traps is dispensed from standard gas cylinders.

O dióxido de carbono desempenha um papel secundário para algumas espécies de mosquitos, que se especializaram em seres humanos

Essas espécies incluem especialmente aquelas que transmitem doenças Como Malária, Dengue ou Febre Amarela. Esses mosquitos reconhecem os humanos, principalmente, pelo odor da pele.

Portanto, as armadilhas de Biogents, com seus estímulos visuais em combinação com a imitação de cheiro humano sinérgico são ideais ainda para capturar essas espécies de mosquito, sem a adição de dióxido de carbono. Isso se aplica especialmente aos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus) mas também para mosquitos domésticos (especialmente Culex quinquefasciatus e espécies relacionadas) e algumas espécies de mosquitos da malária (Anopheles). Embora o uso de dióxido de carbono possa aumentar significativamente a taxa de captura, as armadilhas também podem ser usadas sem CO2 em regiões onde o gás é de difícil obtenção.

Perguntas frequentes sobre dióxido de carbono

De onde vem o CO2 engarrafado?
O dióxido de carbono não é produzido explicitamente para ser engarrafado, mas sim um subproduto recuperado de outros processos industriais. Uma fonte importante é a produção de hidrogênio (a partir de metano ou outros hidrocarbonetos). Cervejarias e produtores de outras bebidas alcoólicas são outra fonte proeminente. Este dióxido de carbono é produzido durante a fermentação biológica. O CO2 bruto é então purificado, comprimido e colocado em garrafas ou cilindros.

O CO2 é seguro para mim e para o meio ambiente?
O principal uso de dióxido de carbono de garrafas pressurizadas é na produção e distribuição de bebidas carbonatadas. É seguro e não contém subprodutos tóxicos. A quantidade de dióxido de carbono liberado é entre 200 e 500 gramas, dependendo da espécie de mosquito-alvo e sua densidade. Em comparação, um ser humano adulto exala cerca de 1000 gramas de dióxido de carbono todos os dias, e um carro médio produz cerca de 150 gramas de dióxido de carbono por quilômetro.

Como armazenar cilindros de dióxido de carbono?
Cilindros de dióxido de carbono devem ser armazenados fora da exposição direta ao sol e outras fontes de calor. O gás é mais pesado que o ar; em caso de vazamento, o CO2 pode se acumular em áreas fechadas, especialmente abaixo do nível do solo, se o local de armazenamento não for ventilado adequadamente.

Checando a taxa de liberação de CO<sub>2</sub> para armadilhas de mosquitos Biogents

Aumentando a taxa de liberação de CO<sub>2</sub> de armadilhas para mosquitos Biogents