Biogents – Science for Your Protection –

Aedes albopictus, O mosquito tigre asiático

Os mosquitos-tigres asiáticos (Aedes albopictus ou Stegomyia albopicta) estão espalhados por todas as regiões tropicais e subtropicais do mundo. Os mosquitos tigres são considerados vetores de doenças como Febre Chikungunya, Dengue e Zika, entre outras. No Brasil, transmissão natural da Dengue por este mosquito ainda não foi comprovada e não é aceita pelo Ministério de Saúde. No entanto, o isolamento do vírus de larvas infectadas desta espécie, coletadas nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Ceará, já foi descrito. Mais ainda, a susceptibilidade e a capacidade elevada de transmissão vertical do vírus da Dengue foram comprovadas em linhagens brasileiras de Ae. albopictus e a infecção natural de adultos já foi demonstrada na Colômbia.

O mosquito tigre asiático é originário do Sudeste Asiático. Nos últimos 30 anos, tem invadido muitos países em todo o mundo, incluindo várias regiões das Américas e do Mediterrâneo. A principal razão para a ampla distribuição é sua fácil transferência espacial a partir de plantas e pneus usados em todo o mundo.

Distribuição de Aedes albopictus

Worldwide distribution of tiger and yellow fever mosquitoes Aedes albopictus, Aedes aegypti, and Aedes polynesiensis

Características

O mosquito tigre asiático de cor escura tem cerca de 3-10 mm de comprimento. Uma única linha branco-prateada que começa na cabeça e continua no lado dorsal do tórax é a marcação característica mais segura para sua identificação.  Uma outra característica marcante são os sinais brancos nas pernas.

Aedes albopictus, the Asian tiger mosquito, is about 3-10 mm length. A single silvery-white line that begins on the head and continues down the dorsal side of the thorax     Aedes albopictus, Asian tiger mosquito

Comportamento

Ao contrário da maioria dos outros mosquitos, o Aedes albopictus é um picador diurno e incomumente agressivo. É por isso que se tornou uma grande praga em muitas comunidades. Os mosquitos fêmea do tigre colocam normalmente seus ovos em recipientes naturais ou artificiais com água. Vasos de flores, vasilhames, baldes, barris de água, pneus descartados, calhas de chuva, ou mesmo copos descartados com água, são usados como locais de reprodução. Os ovos são tolerantes a períodos de seca, tornando o mosquito tigre asiático perfeitamente adaptado ao ambiente urbano.

O ciclo de vida dos mosquitos tigre

Os ciclos de vida do mosquito da Dengue e do mosquito tigre asiático são muito semelhantes. Os ovos são resistentes ao calor e à deisdratação, e são depositados em recipientes naturais e artificiais sujeitos a inundações. Quando os ovos estão cobertos por água, as larvas eclodem, ficam penduradas à superfície da água e respiram através de um sifão tipo snorkel na ponta do abdômen. Existem quatro fases larvares que se alimentam de material orgânico, filtrando a água com partes da boca. A larva do quarto estágio se transforma em uma pupa, que se mantem na superfície da água,  respirando por meio de dois sifões tipo snorkel na extremidade frontal. A pupa é uma fase que não se alimenta, em que o mosquito passa da forma larvar para um inseto adulto. O mosquito adulto emerge da pupa, e normalmente se alimenta de sucos de plantas doces e néctar para atender sua necessidade de energia. Somente os mosquitos fêmeas se alimentam de sangue, que precisam para produzir seus ovos.

Os ciclos de vida do mosquito da Dengue e do mosquito tigre asiático são muito semelhantes. Os ovos são resistentes ao calor e à deisdratação, e são depositados em recipientes naturais e artificiais sujeitos a inundações.